Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Granjinha/Cando

e Vale de Anta... factos, estórias e história.

Granjinha/Cando

e Vale de Anta... factos, estórias e história.

já temos alguma luz...

30
Nov11

 

Depois de muitos dias sem luz na via pública, e de esforços às diversas entidades, parece que o portal "A minha Rua", deu uma ajuda na resolução de parte do problema. Ou então terá sido mera coincidência...

 

 
 

Ocorrência

 

Local

spacerVila Real » Chaves » Vale de Anta   

Falta de iluminação na aldeia

Morada: R. da Amoreira - Granjinha
Submetido
António Cruz
a_cruzgranja@hotmail.com
11/11/2011
rua da amoreira sem luz, com falhas na restantes ruas

 
Observações:
 
<input ... > comentar |  comentários (2)

Comentários

 

spacerdado que já foi comunicado, inclusivé comunicado ao presidente da junta e nada foi feito, recorrer à "A Minha Rua", foi uma forma de reforçar o pedido. Não sei bem a quem recorrer, e uma vez que no site faz refer~encia à iluminação pública, achei que algo podia ser feito. Afinal estamos na mesma! De qualquer forma obrigado pela resposta, pois há entidades que não a dão!

Anónimo  |  14-11-2011 |  20:01 | 

spacerDado que a conservação da rede de iluminação pública é da responsabilidade da EDP - Distribuição, S.A., deverá ser comunicada a avaria para os telefones disponiveis pela empresa, que normalmente acompanham a factura, é gratis e a ocorrência é registada no sistema de avarias da empresa. Telefone: 800 506 506. No entanto, comunicaremos esta situação à EDP - Distribuição, S.A. Local.

Anónimo  |  14-11-2011 |  14:10 | 
 

Capela da Granginha - hoje...

08
Nov11

  

In Site Oficial do Município de Chaves

  • 23-11-2009
  • Adro da Capela da Granjinha vai ser pavimentado

  • A autarquia vai pavimentar o adro da Capela da Granjinha, na freguesia de Valdanta. Na reunião de Câmara de 16 de Novembro, foi aprovado o respectivo projecto de arquitectura. Com esta intervenção, a autarquia pretende dar continuidade às obras de beneficiação deste imóvel de interesse público, levadas a cabo na década de 80 do século XX, na envolvente (com o alargamento do adro), bem como obras de conservação e reparação no próprio monumento. Actualmente, e apesar do monumento em causa apresentar um estado de conservação satisfatório, o pavimento em terra batida - associado às reduzidas dimensões do adro – e a forma como a capela se implanta no terreno e nas construções adjacentes, justificam a necessidade de executar esta obra. Com esta intervenção, pretende-se aumentar o grau de impermeabilização do local, facilitando o trânsito rápido das águas, e com isso, evitar-se a excessiva infiltração de água na área adjacente ao imóvel. Pretende-se, simultaneamente, requalificar a imagem do conjunto, com a adopção de uma nova pavimentação na área adjacente à capela. Alunos do Clube de História recolhem fundos Refira-se que parte da obra vai ser suportada financeiramente com uma recolha de fundos pelos alunos da escola Nadir Afonso. A ideia surgiu na sequência de numa visita de estudo ao local, em 2007, pelos alunos do Clube de História do Agrupamento Vertical Nadir Afonso, no âmbito do “Roteiro do Românico”. A ideia de fazer algo por aquele monumento surgiu e foi lançado o desafio. A adesão dos estudantes foi total e prontamente se dedicaram à causa. Organizaram, então, um sorteio, tendo sido arrecadados 750 euros, que permanecem desde então numa conta bancária e ao dispor da autarquia para o efeito.